Dia do Motorista: conexão entre profissionais e passageiros

24/07/2023

O sistema BRT Sorocaba conta com um time de 192 motoristas e a interação com mais de 1 milhão de passageiros por mês.

Erika Martins de Figueiredo


Dia do Motorista: conexão entre profissionais e passageiros

O sistema BRT Sorocaba conta com um time de 192 motoristas e a interação com mais de 1 milhão de passageiros por mês.

Os motoristas são profissionais do transporte coletivo fundamentais na estrutura das cidades e sem eles muitas coisas não aconteceriam. Eles são responsáveis por conduzir milhares de pessoas, possibilitando a integração de todos com os extremos e o centro do município. No BRT Sorocaba 192 motoristas estão distribuídos em 11 linhas diariamente, circulando em três turnos.

O ônibus é o principal meio de transporte na maioria das cidades e, em Sorocaba, não é diferente. Aqui, eles fazem parte da rotina de muitos passageiros e auxiliam o deslocamento de mais de 1 milhão de passageiros por mês. São trabalhadores, estudantes, aposentados e visitantes viajando dentro do sistema.

Camila Botelho
Camila Botelho

"Sempre tenho passageiros ali próximos a mim em todas as viagens. Volta e meia, ouço elogios, como: não é pra qualquer um que dirige um ônibus de 23 metros! Fico muito contente com o reconhecimento. As emoções são diversas ao longo do dia e, a mais forte que tive, foi com uma passageira de 19 anos que todos os dias andava comigo, ela e sua filhinha de 1 ano e meio. Até que um dia, a mãe a expulsou de casa e eu as acolhi em minha casa! Acredito que temos que ajudar o próximo sem distinção, temos que aprender a ter caridade, empatia e compaixão! Dei um socorro ali no momento e, hoje, essa jovem e a filhinha estão bem tocando suas vidas", explica a motorista.

Segundo Bárbara Rodrigues, responsável pelo Recursos Humanos da BRT Sorocaba, um dos relatos mais frequentes vindo dos passageiros é a segurança que sentem por estarem em contato com o mesmo motorista todos os dias. "Embarcar no ônibus com o mesmo profissional torna a viagem mais familiar. Os passageiros se acostumam com o motorista e criam uma convivência amistosa, tornando a viagem mais segura. Se eles precisarem de alguma ajuda, sabem que tem alguém ali. Isso é reconfortante. Temos uma mobilidade cada vez mais humana de verdade", ressalta.

No dia 25 de julho, comemora-se o Dia do Motorista, e para homenagear todos os profissionais, contamos um pouco da visão deles sobre o que representa ser motorista.

Existem motoristas que ficam durante anos na mesma linha e, com isso, os passageiros que fazem o mesmo trajeto vão se habituando e construindo um vínculo de confiança com o profissional. A motorista Camila Botelho, 42 anos, conta que diversas coisas acontecem nos deslocamentos que vão desde elogios até situações de amparo ao passageiro.

Camila Botelho
Camila Botelho

"Ser motorista de ônibus é muito bom e tenho a sensação de liberdade. Essa profissão me ensinou a ser forte, a ter confiança em mim mesma, a acreditar num mundo melhor onde nós mulheres podemos dominar qualquer profissão. Basta querermos, corrermos atrás de nossos sonhos e não desistir mesmo diante das dificuldades enfrentadas. Obstáculos aparecem para fazer com que sejamos mais fortes e capazes. Aprendi a ter paciência e a esperar o tempo". Camila Botelho, 42 anos, motorista há 5 anos.


 Felipe Mantoanelli Amaral
Felipe Mantoanelli Amaral

"Estou na função de motorista há 7 anos e me sinto realizado no que faço. Todos os dias sempre aprendo algo novo e gosto de escutar os colegas mais experientes. Os mais velhos têm a sua sabedoria. Para quem deseja ser motorista diria que essa é uma ótima profissão e deixo o conselho para que sejam tranquilos e desenvolvam a paciência. Essas são duas qualidades importantes para o dia-a-dia". Felipe Mantoanelli Amaral, 35 anos, motorista há 7 anos.

 Felipe Mantoanelli Amaral
Felipe Mantoanelli Amaral

Paulo Lopes
Paulo Lopes

"Passei por outros setores do transporte antes de me tornar motorista. Então, aprendi bastante sobre os bastidores da operação. Em 2001, tive uma oportunidade e me tornei motorista. Me sinto muito orgulhoso por fazer o que amo. Quando vejo como o meu trabalho contribui para vida de tantas pessoas tenho a certeza do quanto ele é importante. Desempenho a minha função com muita determinação e força de vontade. Sei que todos os dias podemos melhorar um pouco mais". Paulo Lopes, 44 anos, motorista há 22 anos.

Paulo Lopes
Paulo Lopes

google-site-verification=he92oidMsGk8k8v3k0ClPonvSogZ4ZrKkMkm452uIFU